Ranking de Competitividade dos Estados 2019: Sudeste é destaque no quesito Sustentabilidade Ambiental

18 de Outubro de 2019 | Imprensa

 Avaliados sob a ótica de dez áreas-chave, ES, MG, RJ e SP figuram entre os 10 estados mais bem avaliados do País

Os quatro estados do Sudeste, região mais industrializada do país, voltaram a figurar entre os 10 mais bem avaliados pelo Ranking de Competitividade dos Estados. Pelo quinto ano consecutivo, São Paulo ficou em primeiro lugar; Espírito Santo subiu duas posições e finalizou o ano em sexto; Minas Gerais, apesar de ter caído duas posições, ficou em oitavo lugar; e o Rio de Janeiro subiu três posições, ficando em décimo.

Desenvolvido pelo CLP - Liderança Pública, o Ranking é uma ferramenta de avaliação da gestão pública no Brasil e tem como missão prover diagnósticos de áreas essenciais da administração pública. Para isso, analisa 69 indicadores distribuídos por dez áreas-chave: Sustentabilidade Ambiental, Capital Humano, Educação, Eficiência da Máquina Pública, Infraestrutura, Inovação, Potencial de Mercado, Solidez Fiscal, Segurança Pública e Sustentabilidade Social.

Em 2019, o grande destaque da região é a melhora do quesito Sustentabilidade Ambiental, com crescimento significativo na comparação com os resultados de 2018. São Paulo, Espírito Santo, Minas Gerais e Rio de Janeiro ficaram em segundo, sexto, sétimo e oitavo lugar, respectivamente. Os indicadores analisados para compor o pilar de Sustentabilidade Ambiental são: Emissões de CO², Serviços Urbanos, Destinação do Lixo, Tratamento de Esgoto e Perda de Água.

  Espírito Santo  Minas Gerais  Rio de Janeiro  São Paulo 
Posição em Sustentabilidade Ambiental em 2018 13º 15º
Posição em Sustentabilidade Ambiental em 2019

Confira o destaque dos estados do Sudeste:

Espírito Santo

Além da melhora em Sustentabilidade Ambiental, o Estado também se destacou nos indicadores de Solidez Fiscal, conquistando o segundo lugar no ranking geral neste quesito. A unidade federativa também registrou grande evolução nas áreas-chave de Infraestrutura, Segurança Pública e Potencial de Mercado. Em Infraestrutura, ES saiu da 16° posição para a 8°; já em Segurança Pública subiu 5 posições alcançando a 10° posição e, por fim, em Potencial de Mercado o estado ganhou 12 posições, chegando ao 12° lugar.

No entanto, no quesito Capital Humano, que mede Custo de Mão de Obra, Pessoas Economicamente Ativas com Ensino Superior, Produtividade do Trabalho e Qualificação dos Trabalhadores, o Espírito Santo teve uma queda acentuada de 7 posições. Saindo do 7º lugar em 2018 para o 14º em 2019.

Minas Gerais

Um dos grandes destaques do Estado mineiro foi o desenvolvimento no quesito Potencial de Mercado, no qual o Estado saltou sete posições, saindo da 21ª posição em 2018 para a 14ª em 2019. A nota deste indicador é composta pela análise dos dados referentes ao Tamanho de Mercado, Taxa de Crescimento e Crescimento Potencial da Força de Trabalho. 

Em contrapartida, nas áreas de Capital Humano e Eficiência da Máquina Pública Minas teve queda significativa. No pilar de Eficiência da Máquina Pública o estado caiu seis posições, ficando em 10º lugar. Já em Capital Humano caiu ainda mais, da 11ª para a 19ª posição.

Rio de Janeiro

Infraestrutura, juntamente com Sustentabilidade Ambiental, foi o grande destaque do estado. Ao avaliar os itens que compõem o pilar de Infraestrutura (Acessibilidade e Qualidade do Serviço de Telecomunicações, Custo de Combustíveis, Custo do Saneamento Básico, Disponibilidade de Voos Diretos, Acesso, Custo e Qualidade da Energia Elétrica e Qualidade das Rodovias), o Rio de Janeiro subiu cinco posições, ficando em 16º lugar.

Enquanto isso, o Estado manteve a 2ª posição na análise do quesito Capital Humano e a 23ª em Segurança Pública. A performance ruim nesse último pilar tem sido uma constante do RJ.

São Paulo

Primeiro lugar no Ranking de Competitividade há cinco anos, São Paulo mantém a dianteira nos pilares de Inovação, Educação e Infraestrutura e a segunda colocação em Potencial de Mercado.

Nos indicadores de Segurança Pública, Eficiência da Máquina Pública e Solidez Fiscal o Estado registrou leve queda em comparação ao ano anterior, ocupando 3º, 5º e 14º lugar, respectivamente.

Sobre o ranking

O “Ranking de Competitividade dos Estados” é uma das principais ferramentas de avaliação da gestão pública do Brasil e busca pautar a atuação de líderes públicos em dez áreas-chave (Sustentabilidade Ambiental, Capital Humano, Educação, Eficiência da Máquina Pública, Infraestrutura, Inovação, Potencial de Mercado, Solidez Fiscal, Segurança Pública e Sustentabilidade Social).  Disponível numa plataforma online, o ranking traz um diagnóstico completo das performances estaduais em 69 indicadores distribuídos pelas áreas-chave.

Sobre o CLP

O CLP - Liderança Pública é uma organização sem fins lucrativos e suprapartidária que engaja a sociedade e desenvolve líderes públicos para enfrentar os principais problemas do Brasil.. Focado no desenvolvimento de lideranças e na aprovação  de mudanças estruturais para o desenvolvimento do país, o CLP atua com diversos setores buscando transformar o Brasil em articulação com a sociedade.

Informações para a imprensa – Loures Consultoria

Laís Cavassana

(11) 2391-5005 / (11) 97677-2967

lais.cavassana@loures.com.br

Thais Segalla

(11) 2391-5005

thais.segalla@loures.com.br