Minas Gerais é o 6º colocado no Ranking de Competitividade

18 de Setembro de 2017 | Notícias

No Ranking de Competividade dos Estados 2017, anunciado nesta quarta-feira (20), o estado de Minas Gerais aparece na 6ª posição, com destaque positivo para Educação e com resultados ruins em Solidez Fiscal e Potencial de Mercado. Para composição do Ranking neste ano foram considerados 66 indicadores, agrupados em 10 pilares. O estudo é realizado pelo Centro de Liderança Pública (CLP), em parceria com a Tendências Consultoria e a Economist Intelligence Group.

O estado se destacou no pilar de Educação figurando na 2ª colocação nacional. Este item considera o status dos programas estaduais de avaliação da educação básica, o índice de oportunidade da educação, taxa de frequência do ensino fundamental e médio entre outros. 

Nos pilares de Solidez Fiscal e Potencial de Mercado , nome  dado aos itens que compõem o Ranking, Minas Gerais ficou  25 ª posição em Solidez Fiscal e em 23 ª posição em Potencial de Mercado. 

A situação fiscal dos Estados e municípios brasileiros apresentou sensível deterioração em 2016, sendo que alguns Estados já declararam calamidade financeira. Esta é a situação de Minas Gerais, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. Em função da crise, uma série de outros também mostra uma situação financeira bastante fragilizada.

Minas Gerais ficou na 6ª posição do Ranking Nacional. O Estado se colocou em segundo lugar no pilar de Educação. Em 3º em Eficiência da Máquina Pública. Em 6º em Infraestrutura e Sustentabilidade Social. Em 7º em Inovação, seguido por Segurança Pública, que ficou em 8º lugar. Em 12º em Sustentabilidade e 13º em Capital Humano. Nos pilares de Potencial de Mercado e Solidez Fiscal, o estado se classificou em 23º e 25º, respectivamente.

 Sustentabilidade Ambiental. Em 4º em Educação e Sustentabilidade Social. Em 5º em Eficiência da Máquina Pública e em 6º em Potencial de Mercado e Inovação. Em 9º em Segurança Pública, enquanto que em Infraestrutura ficou em 11º. Em Solidez Fiscal, o estado se posicionou em 22º lugar.

No computo geral o estado de São Paulo segue na primeira colocação no Ranking de Competitividade dos Estados, seguido de Santa Catarina que subiu da 3ª para a 2ª colocação e o Paraná que caiu da 2ª para a 3ª posição em relação ao ano anterior. O Distrito Federal segue na 4º colocação. 

Os estados do Sudeste, Sul e Centro-Oeste concentram-se na metade superior do ranking, com os estados do Norte e Nordeste ocupando as últimas posições. Paraíba e Ceará são os representantes do Nordeste mais bem colocados, nas 10ª e 11ª colocações, respectivamente, à frente de Mato Grosso e Goiás. Os últimos colocados foram os estados de Maranhão, Amapá e Sergipe, enquanto Alagoas conseguiu sair da última posição, passando para 24º. 

Outras mudanças expressivas no ordenamento das Unidades da Federação no ranking geral ocorreram com Acre, Rondônia, Paraíba, que foram os estados que mais ganharam posições, enquanto Amapá, Amazonas e Pernambuco foram os estados que mais perderam posições. 

 

 Veja aqui os demais estados

Baixe aqui o Relatório Técnico do Ranking de Competitividade 2017 que explica como foi produzido o estudo comparativo com a OCDE.