Distrito Federal é o 4º colocado no Ranking de Competitividade dos Estados 2017

19 de Setembro de 2017 | Notícias

 

No Ranking de Competividade dos Estados 2017, anunciado nesta quarta-feira (20), Distrito Federal ocupa a 4ª posição na classificação geral, mantendo a mesma posição de 2016. Para a composição do Ranking neste ano foram considerados 66 indicadores, agrupados em 10 pilares. O estudo é realizado pelo Centro de Liderança Pública (CLP), em parceria com a Tendências Consultoria e a Economist Intelligence Group.

No pilar Sustentabilidade Ambiental, o Distrito Federal é o mais bem colocado devido aos indicadores de serviços urbanos, tratamento de esgoto e destinação de lixo. A gestão de resíduos sólidos, expressa no indicador destinação de lixo, demonstrou melhor desempenho ao observado na edição de 2016 do Ranking, de modo que o Distrito Federal ganhou sete posições neste indicador.

No item de Segurança Pública, o DF apresentou os maiores ganhos de posições em relação ao Ranking de 2016, junto da Paraíba e Mato Grosso do Sul, ao subir 11 colocações no pilar (de 20º para 9º), com melhoras relativas em ‘mortes a esclarecer’.

Na análise de Capital Humano, Distrito Federal segue com bons desempenhos nos indicadores de produtividade do trabalho, qualificação dos trabalhadores e proporção de trabalhadores com ensino superior. No entanto, ainda no mesmo item, o indicador de custo de mão de obra segue na contramão, ocupando a última colocação (27ª).

Distrito Federal ficou na 4ª posição do Ranking Nacional. O Estado se colocou em primeiro lugar nos pilares de Capital Humano e Sustentabilidade Ambiental. Em 4º em Educação e Sustentabilidade Social. Em 5º em Eficiência da Máquina Pública e em 6º em Potencial de Mercado e Inovação. Em 9º em Segurança Pública, enquanto que em Infraestrutura ficou em 11º. Em Solidez Fiscal, o estado se posicionou em 22º lugar. 

No computo geral o estado de São Paulo segue na primeira colocação no Ranking de Competitividade dos Estados, seguido de Santa Catarina que subiu da 3ª para a 2ª colocação e o Paraná que caiu da 2ª para a 3ª posição em relação ao ano anterior. O Distrito Federal segue na 4º colocação.

Os estados do Sudeste, Sul e Centro-Oeste concentram-se na metade superior do ranking, com os estados do Norte e Nordeste ocupando as últimas posições. Paraíba e Ceará são os representantes do Nordeste mais bem colocados, nas 10ª e 11ª colocações, respectivamente, à frente de Mato Grosso e Goiás. Os últimos colocados foram os estados de Maranhão, Amapá e Sergipe, enquanto Alagoas conseguiu sair da última posição, passando para 24º.

Outras mudanças expressivas no ordenamento das Unidades da Federação no ranking geral ocorreram com Acre, Rondônia, Paraíba, que foram os estados que mais ganharam posições, enquanto Amapá, Amazonas e Pernambuco foram os estados que mais perderam posições.

 

 

Baixe aqui o Relatório Técnico do Ranking de Competitividade 2017 que explica como foi produzido o estudo comparativo com a OCDE.