O desempenho da região Centro-Oeste no Ranking de Competitividade dos Estados

25 de Outubro de 2019 | Notícias

O desempenho da região Centro-Oeste no Ranking de Competitividade dos Estados 2019 é bem variado. Enquanto Goiás ficou de fora dos dez estados mais competitivos, o Distrito Federal mantém a mesma posição que estava no ano passado, e os estados do Mato Grosso e do Mato Grosso do Sul conseguiram avançar.

Desenvolvido pelo CLP - Liderança Pública, em parcerias com a Tendências Consultoria e a Economist Intelligence Unit, o Ranking de Competitividade analisa 69 indicadores distribuídos em 10 pilares, e pode ser utilizado por gestores públicos para identificar pontos de melhoria e definir os focos de atuação.

>>> Baixe o relatório técnico do Ranking de Competitividade 2019

Confira o desempenho dos estados

Goiás

Caindo três posições de 2018 para 2019, o Estado mantém o 13º lugar no Ranking de Competitividade. Com bom desempenho no pilar de Sustentabilidade Social, apesar de ter perdido uma posição, Goiás melhorou nos indicadores de Serviços Urbanos, Tratamento de Esgoto e Perda de Água.

Já os pilares de Capital Humano, Infraestrutura, Solidez Fiscal e Inovação merecem atenção do Estado. No último, ele mantém a 23ª posição e peca nos indicadores Bolsa de Mestrado e Doutorado e Empreendimentos Inovadores.

Distrito Federal

Em 3º lugar desde a formulação do Ranking, em 2015, o Distrito Federal fica atrás apenas de São Paulo e Santa Catarina.

Líder no pilar de Sustentabilidade Ambiental, Distrito Federal se destaca nos indicadores Serviços Urbanos, Emissões de CO², Tratamento de Esgoto e Perda de Água. Ele também possui ótimo desempenho nos pilares de Capital Humano, Eficiência da Máquina Pública e Infraestrutura.

Solidez Fiscal é o pilar que merece destaque de Distrito Federal, que mantém a 20º posição. Aqui, ele tem baixo desempenho em Capacidade de Investimento, Sucesso de Execução Orçamentária, Resultado Primário, Índice de Liquidez e Poupança Corrente.

Mato Grosso

O Estado conseguiu avançar duas posições de 2018 para cá, saindo da 11ª posição para a 9ª. É o pilar de Solidez Fiscal que merece mais atenção do Mato Grosso, já que ele ocupa a 24ª posição. Dentro dele, peca nos indicadores de Capacidade de Investimento, Resultado Primário, Gasto com Pessoal, Índice de Liquidez e Poupança Corrente.

Porém, o Estado possui bom desempenho nos pilares de Educação, Capital Humano, Inovação e Potencial de Mercado; e no pilar de Eficiência da Máquina Pública, ocupa o 6º lugar.

O Mato Grosso também foi um dos três vencedores do Prêmio Excelência em Competitividade, com seu programa Telessaúde. Criado para ofertar serviços de Telemedicina, ele evitava o deslocamento até as grandes cidades para a realização de consultas e exames.

Mato Grosso do Sul 

Avançando duas posições do ano passado para cá, Mato Grosso do Sul saiu do 7º lugar e entrou para os cinco estados mais competitivos, em 5º. 

Com bom desempenho no pilar de Segurança Pública, no qual o Estado está em 2º, ele melhorou nos indicadores Atuação do Sistema de Justiça Criminal, Presos sem Condenação, Segurança Pessoal e Segurança Patrimonial.

Em contrapartida, o Estado peca no pilar de Capital Humano, ocupando o 17º lugar no ranking geral. 

  Goiás  Distrito Federal  Mato Grosso  Mato Grosso do Sul 
Posição no Ranking de Competitividade 2018  10º 11º
Posição no Ranking de Competitividade 2019 13º


Banner

 

Curso Competitividade e Políticas Públicas

Para você entender mais sobre os pilares destaque da região Centro-Oeste, o CLP disponibilizará o curso Competitividiade e Polítias Públicas, criado para auxiliar gestores de todo o país no desenvolvimento de políticas públicas mais assertivas. Ele terá como base todo o material do Ranking de Competitividade dos Estados, incluindo seus dados, pilares e indicadores.

Ao longo do curso, serão apresentados os conceitos de competitividade e de política pública, e as dimensões de sustentabilidade e desenvolvimento econômico.

Não perca essa oportunidade! Você pode se inscrever pelo formulário abaixo: