Conheça os estados vencedores e finalistas da Categoria Boas Práticas 2019

18 de Outubro de 2019 | Notícias

Lançado pelo CLP - Liderança Pública em parceria com a Economist Intelligence Unit e a Tendências Consultoria Integrada, o Ranking de Competitividade dos Estados abrange 10 pilares e 69 indicadores que podem ser utilizados para mensurar o desempenho e os desafios dos estados em diferentes áreas.

Junto com o Lançamento da nova edição do Ranking de Competitividade dos Estados, acontece o Prêmio de Excelência em Competitividade. Composto pelas categorias Destaque Internacional, Destaque Crescimento e Destaque Boas Práticas, reconhece os estados que souberam implementar políticas públicas de destaque e boas práticas que devem ser replicadas. 

Em sua quarta edição, a categoria Boas Práticas recebeu mais de 123 inscrições de 21 estado brasileiros. Conforme previsto no edital, foram feitas duas avaliações, a primeira que consistiu em verificar pré-requisitos, como serem parte da esfera estadual e fornecer informações completas sobre sua execução; e a segunda, que aborda os critérios estabelecidos: potencial de institucionalização ou legado, equidade, replicabilidade e escalabilidade, inovação, competitividade e momento do país, e resultados.

Neste artigo, apresentamos as boas práticas dos estados vencedores, e dos demais finalistas na categoria Boas Práticas:

Os estados vencedores de Boas Práticas 

Das seis Boas Práticas selecionadas, três delas receberam o Prêmio Excelência em Competitividade. São elas:

CRIA - Criança Alagoana (AL)

Criado pelo estado para possibilitar o desenvolvimento integral das crianças na primeira infância, da gestação até os 6 anos, o programa CRIA - Criança Alagoana integra os setores da saúde, educação e desenvolvimento social. 

Atingindo indicadores críticos de Sustentabilidade Social, como mortalidade infantil e mortalidade materna, o programa CRIA - Criança Alagoana tem como propósito possibilitar às novas gerações um crescimento saudável, construindo uma política abrangente de atendimento integral às gestantes, às crianças e às suas família.

Destaque no Ranking de Competitividade, o estado do Alagoas tem crescimento relevante desde 2015: antes em 27º e último lugar, conseguiu avançar 13 posições até 2019, ficando em 14ª posição.

Programa Telessaúde (MT)

 

Surgindo para otimizar as estruturas de Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC) presentes no estado, o Programa Telessaúde – MT oferta serviços de Telemedicina, como teleconsultorias, telediagnóstico e tele-educação. Assim, o programa consegue evitar o deslocamento de pacientes de localidades que se encontram a mais de 1.500 Km dos centros de referência. 

No ranking geral, o estado ocupa o 9ª lugar, com bom desempenho nos pilares Educação, Eficiência da Máquina Pública e Infraestrutura.

Programa Paraíba Unida pela Paz (PB)

Com foco no pilar de Segurança Pública, esse projeto estadual inovou ao introduzir um novo modelo de gestão, estabelecendo diretrizes únicas e harmônicas para a atuação dos órgãos operativos, como a Polícia Militar, a Polícia Civil e o Corpo de Bombeiros.

Possibilitando o contínuo monitoramento estatístico dos crimes violentos, foi criado o Núcleo de Análise Criminal e Estatística - NACE e houve uma redução nas Taxas de Homicídios (CVLI) por grupo de 100 mil habitantes, saindo de 44,3 em 2011 para 30,3 em 2018, gerando uma queda acumulada de 32%.

Os estados finalistas de Boas Práticas

Caminhos da Paraíba (PB)

Com o objetivo geral de dar continuidade aos investimentos voltados para a modernização do Sistema Rodoviário Estadual, o programa Caminhos da Paraíba visa aumentar a oferta de condições adequadas e de segurança para o tráfego e reduzir os índices de acidentes.

Realizando novas obras de ampliação da malha rodoviária pavimentada, o investimento total do programa foi de R$ 1,6 bilhão, necessário para alcançar 1.207 km de novas rodovias pavimentadas e 1.384 km de restauração de rodovias que se encontravam em mau estado de conservação. 

O programa conseguiu retirar 54 pequenas cidades interioranas do isolamento em que se encontravam e proporcionou aos seus habitantes uma expectativa de desenvolvimento econômico e social, através da geração de emprego e renda.

Plano Metropolitano de Resíduos Sólidos (PE)

Avançando duas posições de 2018 para 2019, o Pernambuco saiu do 20º lugar para o 17º no Ranking de Competitividade dos Estados. Entre os seis finalistas do prêmio, com seu Plano Metropolitano de Resíduos Sólidos – PMRS, o estado avançou no indicador de Destinação do Lixo, saltando da 23ª posição em 2015 para a 4ª em 2018.

Contemplando os 14 municípios da Região Metropolitana do Recife – RMR e o Distrito de Fernando de Noronha, o programa é regido pelo conceito dos 3Rs – redução, reutilização e reciclagem. Visando reduzir a geração de resíduos, aumentar a reutilização e reciclar o que for gerado, o programa pretende garantir padrões excelentes de saúde pública para as populações municipais. Além disso, também tem como objetivo promover o tratamento e a disposição final ambientalmente saudável e economicamente sustentável.

Bom Prato (SP)

Também finalista na categoria Destaque Internacional, o estado de São Paulo ficou entre os seis finalistas com o programa Bom Prato, criado há 19 anos. Com preço baixo e bem implementada, o projeto consegue gerar empregos, movimentar a economia e atacar o problema da insegurança alimentar.

Maior programa de segurança alimentar da América Latina, o Bom Prato é formado por uma rede de 57 restaurantes populares no Estado de São Paulo. Além disso, é também responsável pela oferta de alimentação balanceada, nutritiva e de qualidade a preço acessível para população de baixa renda ou em situação de vulnerabilidade social. Com custo total de R$ 5,70, é subsidiado pelo governo o valor de R$ 4,70, custando apenas R$1,00 ao usuário.