Como chegar mais longe: a importância das referências internacionais para os estados brasileiros

01 de Julho de 2015 | Notícias

Referncias Internacionais

O Ranking de Competitividade dos Estados é o resultado da avaliação de 10 pilares estratégicos para o desenvolvimento brasileiro. Estes, por sua vez, são o resultado do agrupamento de 65 indicadores, que abrangem os mais diversos pontos de avaliação necessários para o crescimento do país.

Além de avaliar os estados brasileiros de 0 a 100, o Ranking também traz referências internacionais com os países da OCDE – Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico, com notas que podem ir além da mínima e da máxima estabelecidas pelo Ranking, sem desrespeitar seu devido o peso e ponderação. Ou seja, um país pode atingir 200 pontos, mesmo o Ranking avaliando os estados brasileiros apenas de 0 a 100.

A OCDE é um grupo de 34 países de todos os continentes. A escolha deste grupo como comparativo foi motivada por sua composição diversa de países. Além disso, a OCDE possue grande disponibilidade de dados de fácil acesso.

Os comparativos internacionais servem para balizar o nível de competitividade dos estados em um cenário internacional. Com a globalização dos serviços e maior conexão entre os países, não se pode trabalhar os indicadores brasileiros de forma hermética.

O intuito dos comparativos internacionais é oferecer parâmetros para os estados brasileiros e apontar, em um cenário internacional e heterogêneo, quais os exemplos a seguir. Apesar de o Brasil trazer melhorias relevantes em diversos aspectos, quando considerados os países desenvolvidos, pode-se ver o tamanho do desafio dos estados em um contexto internacional. 

Considerando a OCDE como um todo, tem-se uma imagem maior do que o Brasil (ou seja, o conjunto de todos os estados) representa, em comparação com a diversidade das referências internacionais.